no blog na web

Iluminação de Jardim

LUZES REALÇAM PLANTAS E CAMINHOS DO JARDIM À NOITE


      Antes de escolher as luminárias do seu jardim, lembre-se que spots, projetores ou balizadores desempenham papéis diferentes na iluminação. Veja para que serve cada peça e como ela pode realçar ou tornar mais seguro o seu jardim.
      O importante é definir o clima desejado e desenvolver um projeto que valorize formas e volumes das plantas, visando a harmonia do jardim.
       A luz com foco dirigido é a mais usada atualmente porque permite dimensionar melhor a iluminação para valorizar o paisagismo. Ao contrário dos postes altos, que iluminam grandes áreas e não realçam os detalhes. Além disso, a iluminacão deve ser agradável, sem ofuscar o olhar das pessoas à noite. Por isso, é preciso escolher o modelo adequado a cada situação.
       Opções não faltam no mercado, desde as mais tradicionais até as de tecnologia avançada, que usam fibra ótica ou energia solar. Seja qual for a sua escolha, lembre-se: 

       *Spots e projetores - embutidos ou não -, projetam a luz de baixo para cima, num ângulo de 45 graus e a uma distância de 50 cm do objeto iluminado. Assim, servem para ressaltar árvores, arbustos e espécies podadas - as topiarias. 
  Fonte: Internet
Fonte: http://3.bp.blogspot.com/__qSPVkUdeLg/S7ERBj-lDII/AAAAAAAAAC4/594dFPlQpec/s1600/jardim-1.jpg

      *Balizadores, com alturas entre 15 e 60 cm, são ideais para iluminar áreas abertas e de circulação, como caminhos, escadas e pistas de corrida. 
 Fonte: internet

       *Os modelos de embutir, tornam-se mais apropriados para rampas, entrada de carros e iluminação externa de segurança. 
 Fonte: internet
      Lindo né?! São ótimas opções para você realçar seu jardim!!!


Fonte: Revista Arquitetura e Construção - Maio/96
Para ler esta reportagem na íntegra procure a fonte citada em bancas ou bibliotecas de sua cidade.

Tijolinho á Vista - Cor Branco!

 
      Pra quem possui uma parede com tijolinho a vista e quer dar um up na sua aparência,  uma pintura na cor branco dá um clima mais suave e moderno.

      Interessou?! Vc vai precisar dos seguintes materiais:
- Tinta esmalte sintético acetinado cor branco;
- Vassoura;
- Espátula;
- Compressor;
- Aguarrá;
- Lixa para parede n°80
 
Modo de fazer: 
 Use a espátula para remover o excesso de massa entre os tijolos;

Lixe, em seguida, para conferir uniformidade à superfície;

Passe a vassoura para eliminar os detritos e o pó mais grosso que ficou;  

Use o compressor para eliminar completamente a sujeira entre os tijolos;

Dilua a tinta com aguarrás na proporção indicada pelo fabricante;

Abasteça o reservatório do revólver de aplicação com a tinta diluida; 

Pinte em movimentos horizontais com o revólver distante cerca de 30 cm da parede
 
Mãos a obra!!!!



Fonte: Revista Viver Bem Reformar Construir - Abril/01
Para ler esta reportagem na íntegra procure a fonte citada em bancas ou bibliotecas de sua cidade

TecnoVidro em Varginha

     No dia 25/02 foi realizado no Apart Hotel Podium palestras sobre as novidades de vidros para construção civil e decoração.
     A empresa TECNOVIDRO reuniu as grandes empresas da fabricação de vidros para apresentação de seus produtos e suas tecnologias. E lógico, estive presente para reciclar os conhecimentos!!

     No final, um delicioso coquetel encerrou o grande encontro dos arquitetos e engenheiros da cidade e região.

Quem é quem na Construção?


Cada vez mais, a cesta básica de mão-de-obra fica menos básica. Construir só com alguns pedreiros e serventes? Nem pensar! Pode incluir na sua lista, além do arquiteto e do engenheiro, encarregado, encanador, eletricista, carpinteiro, armador... Sem contar os profissionais especializados que, mais e mais, frequentam a etapa de acabamentos.
Há dois motivos para essa especialização: a exigência de qualidade dos serviços e o aprimoramento de produtos e materiais. É aí que aparecem os azulejistas, marmoristas, gesseiros e, até mesmo, pintores - não esqueça as pinturas especiais. E saiba que, só com a mão-de-obra, você gastará entre 40% e 50% do custo da construção. Por isso, é bom conhecer muito bem a função de cada profissional e o momento em que ele entra na obra.

ARQUITETO
O que faz: cria o projeto e aprova as plantas na prefeitura. Além disso, fiscaliza a obra, junto com o engenheiro, para ver se está sendo executada conforme o planejado.
Quando atua: é o primeiro profissional a ser procurado pelo cliente e deve acompanhá-lo até o final da obra.

ENGENHEIRO
O que faz: cuida da execução dos projetos – estrutural, arquitetônico, elétrico e hidráulico. Orienta o mestre-de-obras, ou o encarregado, a respeito de questões técnicas e de acabamentos.
Quando atua: desde as fundações até a conclusão da obra.

MESTRE DE OBRAS
O que faz: é o intermediário entre o engenheiro e os funcionários. Conhece todas as etapas da obra e confere a execução de cada serviço.
Quando atua: desde as fundações até a conclusão da obra.
 
ENCARREGADO
O que faz: é um mestre menos qualificado também conhece todas as etapas da obra e coordena o serviço dos demais funcionários. Trabalha sob as ordens do mestre-de-obras ou, na ausência deste, do engenheiro.
Quando atua: desde as fundações até a conclusão da obra.

PEDREIRO
O que faz: serviços de alvenaria, revestimentos de paredes e de pisos e acabamentos em geral.
Quando atua: desde a montagem do canteiro de obra até os acabamentos.
SERVENTE
O que faz: auxilia todos os profissionais da obra. Transporta materiais, prepara argamassa para revestimentos, limpa o canteiro.
Quando atua: do início ao fim da obra.

CARPINTEIRO
O que faz: os andaimes e as formas estruturais para vigas e pilares. Em alguns casos, faz o telhado.
Quando atua: desde a montagem do canteiro de obra, fazendo o barracão e os tapumes, até a conclusão da estrutura. Pode também cuidar do telhado.

ARMADOR
O que faz: é o ferreiro, operário que corta, dobra e monta os ferros estruturais.
Quando atua: desde as fundações até a conclusão das lajes.
O proprietário poderá optar por comprar as ferragens já prontas (serviço de corte e dobra), isto só é possível com um projeto estrutural. A vantagem está na rapidez da obra, redução dos desperdícios de barras de ferro e qualidade da peça, é um processo cada vez mais utilizado na construção.

ELETRICISTA
O que faz: realiza a ligação elétrica para a construção, coloca os conduítes, passa a fiação e instala tomadas e os interruptores.
Quando atua: sua primeira participação é no canteiro de obras. Retorna ao trabalho durante a execução das lajes, para embutir as tubulações. Reaparece quando são erguidas as paredes, para colocar conduítes, tomadas e interruptores.
AUXILIAR DE ELETRICISTA
O que faz: corta conduítes, rasga a parede e ajuda a passar fios.

ENCANADOR
O que faz: instala os canos para a ligação de água e esgoto; coloca peças sanitárias, pias, tanques e torneiras.
Quando atua: como o eletricista, chega à obra durante a instalação do canteiro, para fazer o ponto de água. Depois, quando estão sendo executadas as lajes, ele coloca as tubulações. Retorna na fase de acabamentos para instalar as peças.
AUXILIAR DE ENCANADOR
O que faz: corta canos e rasga a parede para passar a tubulação.

PROFISSIONAIS DE ACABAMENTO
Marceneiro: faz os serviços mais refinados de madeira, como os armários, além de instalar portas, janelas, assoalhos e lambris.
Ceramista: coloca piso cerâmico.
Serralheiro: faz portões, grades e esquadrias metálicas.
Vidraceiro: executa e instala esquadrias em vidros temperado, além de coberturas envidraçadas e espelhos. .
Gesseiro: realiza trabalhos com gesso sancas, roda-tetos, forros rebaixados.
Azulejista: coloca azulejos.
Pintor: emassa e pinta as paredes.
Marmorista: assenta e dá acabamento ao mármore.

*Lembre-se: o arquiteto é a pessoa mais indicada para recomendar mão de obra qualificada.


Fonte: Revista Arquitetura e Construção - Maio/97
 

Dircenéia Moterani

Atuante na área de decoração e artes, é uma das mais requisitadas e experientes profissionais de Varginha. Lança mão de recursos como luz, cor e materiais diversos, para obter uma disposição harmoniosa dos objetos no espaço.